O medo começou a causar pânico nos médicos! A insegurança e a vontade de trabalhar sem concorrência é gigantesca para esses profissionais.

As ordens dos Médicos, portuguesa e espanhola, uniram-se contra o que chamam de “pseudoterapias” por considerarem que são prejudiciais à saúde e à segurança dos doentes.

Numa declaração conjunta, assinada esta semana em Madrid, avisam que existe “uma crescente proliferação de casos de doentes em situações críticas pelo uso das mesmas”. Dá para acreditar nisso?

Querem legislação para combatê-las, acabar com a publicidade enganosa e dizem mesmo que “têm de ser proibidas e excluídas de qualquer sistema de saúde”.

Os profissionais da Medicina Tradicional alegam que o documento é “pouco claro porque mete tudo no mesmo saco” e garantem que muitas terapêuticas não convencionais já deram mais do que provas.

Vale lembrar que, existem estudos que demonstram em certos casos o abandono ao tratamento convencional por alternativos pode trazer riscos aos pacientes. Por isso, defendemos o uso INTEGRATIVO e não alternativo, ok?

Os médicos não querem proibi-las, querem usurpa-las!

Segundo o comunicado, a “pseudoterapia” (ou falsa terapia) é toda a oferta de cura de doenças ou alívio de sintomas com recurso a procedimentos, técnicas, produtos, remédios ou substâncias baseadas em crenças ou critérios sem evidência científica, nem validação da sua eficácia, efetividade, qualidade e segurança.

Porquê é que os médicos tem tanta dificuldade em entender que podem e devem co-existir com os demais profissionais? Para o bem do utente que procura recuperar a sua Saúde, deveriam trabalhar de mão dada e não gastar recursos valiosos em guerrinhas de poder desnecessárias!

Sabemos que o farmacêutico é o profissional mais especializado no atendimento, substâncias e medicamentos, não é mesmo? Recentemente, o conselho federal de farmácia (CFF) publicou uma imagem em seu perfil do instagram dizendo que as Práticas integrativas são reconhecidas como área do farmacêutico.

Talvez esse seja o principal medo da classe médica, diversos profissionais da saúde se especializarem nas chamadas de práticas integrativas, e assim tirar dos consultórios médicos, as pessoas que acham que os médicos são deuses e que tem na palma da mão a “cura infalível”. Isso se chama remédio, e talvez nem seja isso que o paciente esteja realmente precisando.

Isso tudo não passa de uma “lei de MEDO”, de diminuir a procura dos médicos ( promoção da segunda maior indústria). Os interesses econômicos que definem o receituário, sufocam os pacientes. Cada vez terão menos procura diante disso!

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a biomedicina estética é legítima, um direito do biomédico, do biomédico esteta, do graduando em biomedicina e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e elevação da auto-estima.