Harmonização facial: 4 mitos e 4 verdades sobre o procedimento

Procedimento é um dos mais solicitados em clínicas estéticas e consultórios. Você sabe diferenciar os mitos e as verdades?
harmonização facial

A harmonização facial é um dos procedimentos que mais ganhou destaque nos consultórios e clínicas estéticas, afinal, quem não está em busca de um rosto mais harmônico, não é mesmo?

Reunindo métodos menos invasivos que as cirurgias plásticas, a técnica consiste em corrigir algumas imperfeições no rosto dos clientes por meio de diversos procedimentos estéticos. 

Como bem se sabe: com grande destaque vêm grandes dúvidas. E, por isso, separamos aqui oito mitos e verdades sobre a harmonização facial que você precisa conhecer.

Harmonização facial diminui a sensibilidade

Mito. 

Os procedimentos estéticos utilizados na harmonização facial não são invasivos (como a aplicação da toxina botulínica ou do ácido hialurônico) e, por conta disso, a sensibilidade do rosto não é comprometida. 

Pode substituir a cirurgia plástica

Verdade… De certa forma.

Quando um cliente chegar ao seu consultório e fizer essa pergunta, você já sabe como responder. Sim, um procedimento de harmonização facial pode substituir uma cirurgia plástica, mas tudo depende do caso – e das expectativas com relação ao resultado. Ou seja, em alguns casos o seu paciente pode evitar uma rinoplastia e uma mentoplastia com a aplicação de ácido hialurônico ou toxina botulínica. 

Os resultados são artificiais

Mito também. 

Sim, já vimos inúmeros casos em que o resultado final não era muito satisfatório, mas isso depende do profissional. Por isso, como você bem sabe, o profissional especializado na área estética, pode evitar resultados desagradáveis e aspectos indesejáveis. 

Procedimento personalizado

Verdade. 

É imprescindível que você estude a anatomia do rosto de seu paciente antes de realizar a harmonização facial. Afinal, o procedimento não leva em conta apenas o que o paciente deseja, mas também se o resultado que ele tem em mente combina com sua estrutura facial. Não o bastante, avalia também a função dos ossos e dos músculos da região para que não ocorra a perda de função de qualquer uma dessas estruturas. 

Restrição de idade

Mito.

Não existe idade mínima para começar a realizar o procedimento (ou parar)! O ideal é analisar os casos de pacientes que sejam muito novos: é  realmente necessário que a pessoa faça o procedimento ou é apenas uma pressão externa? 

Há também casos em que o procedimento da pele não permite um bom resultado para o procedimento e a cirurgia plástica faz-se necessária. 

Resultados rápidos

Verdade. 

É comum que os resultados do procedimento apareçam entre um e sete dias, contudo, em alguns casos pode demorar cerca de 14 dias para que surjam, dependendo da substância utilizada no tratamento. 

Explique ao seu paciente que podem surgir efeitos adversos em seu rosto, como inchaço e vermelhidão, resultantes do procedimento e, portanto, não é necessário que ele se preocupe. 

Depois de muitas repetições o procedimento perde o efeito

Mito. 

O que acontece é a necessidade de respeitar o tempo de pausa entre um procedimento e outro. A toxina botulínica precisa de um tempo de 60 dias antes de reaplicar o produto, para que o corpo não produza anticorpos que reduzirão a eficácia do tratamento. 

Dessa forma, é importante explicar ao seu paciente que é bom esperar o tempo recomendado para evitar problemas como o citado futuramente. 

Harmonização facial pode ser feita em qualquer pele

Verdade.

O procedimento de harmonização facial pode ser realizado em qualquer pele, independentemente de tipo (seca, oleosa ou mista), da cor da pele e, também, de cicatrizes resultantes de acne. 

 E então? Conhecia todos os mitos e verdades apresentados aqui? Deixe nos comentários!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2010-. Portal da Farmácia Estética.