Os benefícios da eletroterapia em procedimentos estéticos

Descubra tudo sobre a eletroterapia na estética Os recursos para tratamentos estéticos são diversos e com muitas finalidades para resultados divergentes, de acordo com cada tratamento escolhido pelo paciente. E uma das técnicas comuns e muito utilizadas em clínicas e procedimentos estéticos é a eletroterapia, que utiliza, através de aparelhos específicos, correntes elétricas de baixa […]
eletroterapia

Descubra tudo sobre a eletroterapia na estética

Os recursos para tratamentos estéticos são diversos e com muitas finalidades para resultados divergentes, de acordo com cada tratamento escolhido pelo paciente. E uma das técnicas comuns e muito utilizadas em clínicas e procedimentos estéticos é a eletroterapia, que utiliza, através de aparelhos específicos, correntes elétricas de baixa intensidade. Esta técnica também é nomeada como eletrolifting que proporciona uma melhora na pele, da região aplicada. Com isso, a eletroterapia reduz problemas com olheiras, linhas de expressão facial, além de realizar o rejuvenescimento e revitalização da pele, por meio de uma corrente galvânica. Este tipo de procedimento não é invasivo, ou seja, utilização de agulhas ou equipamentos similares para introdução de substâncias no corpo, apesar de já existir no mercado um tratamento similar com agulhas. A técnica lida com estímulos elétricos de intensidade muito baixa que além de desobstruir os gânglios linfáticos, melhora a circulação, metabolismo, nutrição, oxigenação da pele e produção de colágeno promovendo o equilíbrio e manutenção da saúde da pele. Existem diversidades de correntes, que podem ser reproduzidas na eletroterapia, cada qual com particularidades próprias quanto às indicações e contraindicações. Mas todas têm o objetivo de produzir algum efeito no tecido a ser tratado, que é obtido através das reações físicas, biológicas e fisiológicas, que o tecido desenvolve ao ser submetido à terapia.

Eletrolifting, ionização e microcorrentes

Dentre as principais correntes utilizadas na eletroterapia, existem três principais para os tratamentos conhecidos como eletrolifting, ionização e microcorrentes. O eletrolifting trata-se de uma corrente que proporciona pequenas “modificações corporais” das rugas e expressões, com o intuito de estimular a produção de colágeno e elastina, nutrindo, ainda, os tecidos da pele. Já a ionização é um estímulo de corrente elétrica que facilita a penetração de ativos, por meio deste processo, fazendo a quebra das moléculas facilitando a penetração profunda da pele. De antemão, o procedimento de microcorrentes atinge camadas mais profundas, em que além de estimular o colágeno, melhora, também, a nutrição do tecido da pele. Facilita, ainda, o estímulo das fibras musculares, onde se obtém uma melhora na flacidez muscular, além de atuar na cicatrização de tecidos.

Contraindicações no tratamento

Apesar de ser uma técnica inovadora possui algumas contraindicações que precisam ser observadas tanto pelo profissional esteta quanto o paciente. As restrições são para pacientes com:
  • Cardiopatias;
  • Portadores de marca-passo;
  • Patologias circulatórias;
  • Gestantes;
  • Hipertensão;
  • Processos infecciosos e inflamatórios;
  • Neoplasia;
  • Problemas renais crônicos;
  • Patologias pulmonares;
  • Epilepsia;
  • Regiões com dermatites ou dermatoses;
  • Lesões musculares;
  • Prótese metálica.
Portanto, converse com o profissional esteta e saiba todos os benefícios e os cuidados que devem ser seguidos antes e depois do tratamento. Gostou do nosso post de hoje? Então leia mais sobre procedimentos estéticos com ultrassom [widgetkit id=”11″ name=”BANNER PÓS-GRADUAÇÃO FARMÁCIA”]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2012-2021. Portal da Farmácia Estética.