Pílulas anticoncepcionais alteram a estrutura do cérebro da mulher

Os hormônios sintéticos presentes nas pílulas anticoncepcionais causam um efeito devastador no cérebro das mulheres, além físicos e emocionais. Para confirmar essa tese, a revista Human Brain Mapping, publicou um recente estudo feito por especialistas da Universidade da Califórnia, em Los Angeles. Na ocasião, Nicole Peterson, responsável pela pesquisa, e sua equipe, recrutaram 90 mulheres, […]
anticoncepcional
Os hormônios sintéticos presentes nas pílulas anticoncepcionais causam um efeito devastador no cérebro das mulheres, além físicos e emocionais. Para confirmar essa tese, a revista Human Brain Mapping, publicou um recente estudo feito por especialistas da Universidade da Califórnia, em Los Angeles. Na ocasião, Nicole Peterson, responsável pela pesquisa, e sua equipe, recrutaram 90 mulheres, onde 44 usaram o controle de natalidade combinada e 46 mulheres que não usaram qualquer tipo de controle de natalidade, assim, poderiam comparar a espessura cortical da região do cérebro.

Córtex orbitofrontal lateral e posterior do córtex cingulado de mulheres que usam anticoncepcional oral são mais finos  

As pesquisas mostraram que as duas regiões principais do cérebro, o córtex orbitofrontal lateral e posterior do córtex cingulado, eram mais magros nas mulheres que usaram o método contraceptivo oral do que nas mulheres que não usaram. A primeira região, o córtex orbitofrontal lateral é importante na regulação da emoção e tomada de decisões, e o córtex posterior cingulado está envolvido com os pensamentos. Os cientistas ainda não determinaram se estas alterações neurológicas são permanentes, ou se eles só duram enquanto a mulher está tomando a pílula

Algumas mulheres podem desenvolver efeitos colaterais emocionais negativos com o uso da pílula anticoncepcional

“As mudanças no córtex orbitofrontal lateral, podem ser responsáveis pelo aumento da ansiedade e sintomas depressivos que algumas mulheres experimentam quando começam a tomar a pílula”, disse a pesquisadora Peterson, numa entrevista ao Jornal The Huffington Post. Após analisarem o resultado da pesquisa, outros especialistas alertaram para a necessidade de avançar nos estudos, pois uma forma de contracepção química que é aceita e tem a capacidade de alterar a estrutura bruta do cérebro humano é motivo de muita preocupação. [widgetkit id=”11″ name=”BANNER PÓS-GRADUAÇÃO FARMÁCIA”]

Comentário (2)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2012-2021. Portal da Farmácia Estética.