E cada vez mais os “maus médicos” que agem de má fé estão sendo desmascarados pela sociedade. Nós, do blog farmácia estética, postamos recentemente matérias relacionadas ao erro-médico que tirou a vida de 3 pessoas no Rio de Janeiro após procedimentos estéticos, estão lembrados?

Contudo, quando tais escândalos começaram a pipocar nas mídias televisivas, diversos pacientes atendidos por esses médicos foram registrar queixas de deformações, de procedimentos realizados erroneamente, enfim inúmeros relatos de erros estéticos que estão crescendo mais a cada dia.

Não parece que o feitiço voltou contra o feiticeiro?

  • Quem aqui não lembra dos inúmeros posts e divulgações médicas incentivando a sociedade denunciar à polícia farmacêuticos não só por erros estéticos, mas por simplesmente atuar na estética? Só para tentar inibir o crescimento da classe pelo medo do constrangimento! Atitude lamentável!
  • Quem não lembra do caso de queimadura por peeling de fenol feito em Santa Catarina por um farmacêutico sob a responsabilidade técnica de sua esposa médica dermatologista e que perseguiram apenas o rapaz enquanto acobertavam a colega para não respingar na classe médica?
  • Quem não lembra dos médicos corporativistas que por causa de um único erro decorrido de um profissional da saúde “não-médico” (por acaso existem não-advogados, não-administradores, não-engenheiros, não-juízes, não-jornalistas…? Definição preconceituosa) já oneram a Justiça Federal de todos os estados do Brasil, a fim de acabar num só golpe, com toda uma classe de especialistas farmacêuticos e demais profissionais estetas pela causa da reserva de mercado!?
  • Quem não lembra das acusações das associações médicas em relação aos farmacêuticos estetas e demais profissionais estetas pressupondo e subestimando que os mesmos não podem fazer procedimentos estéticos porque não estão habilitados para reverter intercorrências?
    • Farmacêutico esteta goza sim de uma série de recursos para reversão de complicações e intercorrências estéticas, mas principalmente, trabalha na prevenção para que isso nunca aconteça;
    • Mas se um farmacêutico tiver que encaminhar para um hospital que tem médico aí já não pode!? Mas médico incapaz de atender a intercorrência pois não é sua especialidade e nem desenvolveu experiência para tal (pois estava mais preocupado em ganhar dinheiro com estética de risco) pode sim encaminhar para seus “coleguinhas médicos de outras especialidades” (leia-se: enfermeiros e demais profissionais da rede saúde pública e privada com equipe multidisciplinar sob responsabilidade do hospital)… para que apenas a cagada toda fique acobertada entre amigos?
    • O que se sabe, a regra de encaminhar para o socorro hospitalar é direito de todos e dever das equipe multidisciplinares atender o cidadão necessitado. Juramento médico serve pra que mesmo? Serve para selecionar quem deve ou não ter acesso à saúde? Bandido toma tiro na cara de policial no dever e os médicos socorrem os bandidos sem fazer distinção!
    • Nem cirurgião plástico, nem dermatologista têm em suas formações originais a finalidade na estética, e até nisso, eles tentam sabotar todos os farmacêuticos estetas e demais profissionais estetas, bem como iludir toda a sociedade para impedir os avanços, evoluções e conquistas obtidos no setor da Estética ao longo desses últimos anos.

Vocês lembram da Dr. Geysa que, após realizar um procedimento estético na professora Adriana Ferreira utilizando o PMMA que levou a vida de mais uma paciente – procedimento proibido pelas ABFE (Associação Brasileira de Farmácia Estética), SBEE (Sociedade Brasileira de Enfermagem Estética) e SBBME (Sociedade Brasileira de Biomedicina Estética), mas permitido nas mãos dos médicos especialistas pelas SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologistas) e SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgias Plásticas) por que se acham os melhores, os mais experientes, os mais habilidosos, os mais capacitados e etc.

Saiba mais: Outras duas mortes por procedimentos estéticos realizados por médicos ganham destaque nas mídias

Paciente relata: “Estou com meu rosto deformado e entrei em depressão após procedimento estético com a Dra. Geysa”

Uma paciente que se submeteu a um procedimento estético, mais conhecido como bioplastia, com a médica Geysa Leal alega que teve o rosto deformado após a aplicação na face de PMMA (Polimetilmetacrilato) no Rio de Janeiro.

A paciente, que pediu que sua identidade não fosse revelada, reclama reparação por danos morais. A médica responde a outros três processos na Justiça por supostos erros médicos.

Médica erra e encaminha e-mail para paciente ao invés de enviar para a empresa Metacril

Como se não bastasse fazer procedimentos estéticos errados em suas pacientes e com produtos não permitidos, a médica enviou e-mail para a paciente relatando que a substância “deu problema”, e pasmem, ela enviou para a paciente e não para a empresa.

No e-mail a médica relata:

“A substância Metacril causou problemas em 13 pacientes e vocês enviaram uma seringa com material esverdeado no interior. Nestes pacientes ‘problema’ ocorreu edema absurdo, mas a situação voltou ao normal em 15 dias, exceto o caso ex-paciente do processo. 

Geysa, ainda, acrescenta que custeou as consultas clínicas de reparação, descreve gastos e propõe dividir os custos do tratamento com a empresa:

“Não acho justo que eu arque com esse problema sozinha, visto ter sido um problema do material e se a paciente entrar na justiça só teremos a perder”, concluiu. 

Por meio de nota, a defesa Metacril Distribuidora afirmou que o texto do e-mail consta nos autos de ação indenizatória movida contra a empresa:

“Este e-mail [citado no processo] é de responsabilidade da médica que alega ter utilizado o produto, uma vez que foi esta quem redigiu e enviou à autora da ação, não havendo qualquer interferência, responsabilidade ou anuência da empresa distribuidora do produto”.

Enquanto as distribuidoras de PMMA vão dando um jeito daqui e dali de tirar o corpo fora, o fornecimento desta substância continua rolando solto e de forma indiscriminada. Lembram que o Dr. Bumbum declarou que comprava cerca de 30 litros de PMMA ao mês? Haja tanta receita de prescrição hein! E tal fato nunca levantou suspeita né? O próprio fármaco tem recomendação na bula de até 22ml por área do rosto! Como que era feita a conta de dispensação do volume de PMMA versus a quantidade de pacientes? As Vigilâncias Sanitárias nunca desconfiaram disso em épocas de inspeção? Até esteticista tem acesso à substância! Está claro que o interesse aqui não é melhorar a vida das pessoas, mas, sim, a obtenção de lucros.

A paciente relata que o objetivo desse procedimento era eliminar o nódulo que se formou no rosto, o que não adiantou, segundo a petição, porque ele se dividiu em dois e a mesma relata que chegou a entrar em depressão por causa da deformidade na face. Mas não são todos os médicos que se dizem capazes de resolver tudo e fazer milagres?

PMMA é perigoso e não indicado pelos Farmacêuticos Estetas

Tal procedimento invasivo atinge órgãos internos e nada tem a ver com procedimentos minimamente invasivos hipodérmicos. A colocação do produto é feita de maneira similar à do hidrogel: com uma microcânula e sob anestesia local e os riscos inerentes ao PMMA são ainda maiores do que os observados no hidrogel: “Se causar problema, ele fica para sempre, pois não é possível retirar tudo com uma lipoaspiração”.

Segundo farmacêuticos, justamente os profissionais que formulam e produzem todos os medicamentos e bulas, é sabido que:

  • o PMMA poder mudar de lugar levando a deformações, além de provocar degeneração no tecido humano;
  • o PMMA após uns 10 a 12 anos da aplicação pode dar problemas de rejeição e alergia levando o paciente à cirurgia o sujeitando à riscos de vida de forma desnecessária;
  • o PMMA nunca foi recomendado para aplicações corporais e ou de grandes áreas;
  • o fármaco deve ser somente aplicado em regiões faciais pequenas de até 22ml por área do rosto;
  • o risco e periculosidade do procedimento é totalmente desnecessário, caso o PMMA corra pelos vasos por alguma infelicidade o paciente fica sujeito a embolias e tromboses que levam à óbito;
  • diante de trombose e embolia pulmonar provocado pelo PMMA nem mesmo nas mãos dos médicos mais “experientes, habilidosos e ilustres”, estes não são capazes de reverter nem quando a aplicação é feita com o paciente dentro de uma UTI hospitalar, quanto menos num centro cirúrgico ou clínica médica;
  • se der alguma coisa errada, é uma viagem sem volta. É caixão e vela!
  • somente membros de classe médica se sentem os “experientes, habilidosos e ilustres” a ponto de desrespeitar e infringir todas recomendações e limites na bula do PMMA elaborada por farmacêuticos, profissionais responsáveis.

Os próprios farmacêuticos estetas alegam que já viram sucessivos casos com sequelas horríveis, advindos das mãos de médicos, pois uma substância como essa pode sair do lugar, provocar infecções, cair na circulação e a retirada do produto é extremamente difícil, pois não é possível distinguí-lo de outros tecidos do corpo. Meu Deus, que medo!

Afastem-se de todo e qualquer preenchimento corporal

Saiba que este tipo de problema nunca será advindo das mãos de farmacêuticos estetas, pois além de mais conscientes, a formação na especialização preconiza o NÃO USO de preenchedores permanentes sejam faciais ou corporais, e os próprios CFF e CRFs não permitem e nem reconhecem tal prática por força de resolução e demais regulamentações impostas a fim de fiscalizar a classe.

As associações de profissionais estetas estão se organizando para reivindicar a proibição do PMMA pela ANVISA, ou pelo menos, a restrição do uso do fármaco apenas em ambiente hospitalar. Em uso clínico, o PMMA realmente tem se comprovado uma ameaça à sociedade decorrente da oferta desenfreada causada pela classe médica.

Os maus médicos e a fiscalização ineficaz dos CFM e CRMs são os principais motivos para que a substância seja retirada do mercado. Não é o porquê de tal substância ser 10 vezes mais barata que o ácido hialurônico, que a população saudável tem que ficar constantemente a mercê deste risco.

Portanto, saiba com quem irá realizar um procedimento estético, peça as referências, procure se o mesmo está ativo diante do conselho de classe, se é capacitado e absorva tudo que conseguir referente ao profissional e ao local onde irá se submeter a realizar o procedimento estético.

Nestes casos, sua vida está em jogo e, infelizmente as outras pacientes desta “médica” que se diz capacitada, não tiveram a oportunidade de pesquisar ou ter a sensibilidade de buscar informações antes mesmo de colocar seus sonhos nas mãos desastrosas dessa mulher que não tem amor à própria vida, quem dirá com a vida do próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a biomedicina estética é legítima, um direito do biomédico, do biomédico esteta, do graduando em biomedicina e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e elevação da auto-estima.