Lábios extravagantes, bochechas extremamente volumizadas e expressões congeladas por uso errado da toxina botulínica são alguns dos exageros mais comuns, principalmente entre os jovens

Hoje em dia é cada vez mais fácil enxergar o impacto das mídias sociais na percepção que o paciente tem da sua própria imagem. Na era da selfie, estar nas redes sociais basicamente força pacientes de todas as idades a manter uma atenção microscópica com a sua aparência e recorrerem aos procedimentos estéticos.

Segundo a estatística anual da American Society of Plastic Surgeons, em 2017 houve 17.5 milhões de procedimentos estéticos não invasivos, desse número 15.7 milhões foram procedimentos não invasivos, um aumento de mais de 200% desde o ano 2000.

proceidmentos

Entre os procedimentos mais realizados estão: a toxina botulínica (7.23 milhões) e preenchedores (2.7 milhões).

Jovens abusam de procedimentos estéticos

Este quadro fica ainda pior entre jovens de 20 a 30 anos, que estão cada vez mais “escravos da aparência” e buscam, mais cedo do que deveriam, técnicas de preenchimento e aplicação de toxina botulínica para prevenir sinais de envelhecimento como rugas, que ainda estão longe de aparecer.

Para estes jovens há uma necessidade de parecer sempre jovem, o que dá a impressão de que a aparência é sempre mais importante para eles, já que o julgamento perfeccionista chega bem antes que os efeitos da idade, vocês também não acham?

E esse comportamento está presente em quase todas as classes sociais, pois, no Brasil, até mesmo populações de baixo poder socioeconômico gastam uma parcela significativa da renda mensal com produtos e serviços de beleza, chegando a investir mais com beleza do que com educação, segundo a Fecomércio de SP.

Classe C gasta cerca de 20 bilhões no ano com procedimentos estéticos

Com gastos que chegam a 20,3 bilhões ao ano, a classe C é uma das que mais gasta, chegando a comprometer 30% da renda com salões de beleza, clínicas de estética e serviços relacionados.

Neste cenário surgem os exageros como lábios demasiadamente grandes e irreais, bochechas extremamente volumizadas e expressões congeladas por uso errado da toxina botulínica.

Geralmente, o problema é que elas não aceitam limites. Então acabam indo de lugar a lugar até que algum profissional faça o que elas desejam, o que acaba gerando a artificialidade e o exagero.

Procure por profissionais qualificados para realizar os procedimentos estéticos

Ao optar por realizar qualquer procedimento estético, é necessário pesquisar por um bom profissional, qualificado e habilitado, como por exemplo o farmacêutico esteta.

Lembre-se que, exageros nunca serão bem vindos, afinal, ninguém quer acabar com o rosto totalmente deformado, não é mesmo?

Portanto, a dica essencial é que você faça uma ampla pesquisa sobre a clínica de estética, o profissional, sua formação, pegue depoimentos com outros pacientes que já realizaram procedimentos estéticos com o mesmo.

Fonte: Segs

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a biomedicina estética é legítima, um direito do biomédico, do biomédico esteta, do graduando em biomedicina e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e elevação da auto-estima.